BlogConteúdo, novidades, informação, etc.

Arquivo de: Consultoria

Entenda o papel prático do SPED na fiscalização das empresas

Por | Compliance, Consultoria | No Comments

Se você é dono de uma empresa provavelmente sabe que  Sistema Público de Escrituração Digital, o famoso SPED, faz parte do Programa de Aceleração do Crescimento do Governo Federal (PAC 2007-2010). Além disso, ele foi um grande marco para a área contábil das organizações pois foi a partir de seu surgimento que os principais procedimentos contábeis passaram a ser realizados pela internet. Com isso, o armazenamento de documentos físicos deu espaço a armazenagem em nuvem.

No entanto, muitas dúvidas ainda existem a respeito do SPED e toda essa mudança fez com que muitos ainda tivessem dificuldade em entender o papel prático dele na fiscalização de empresas. Por isso, hoje iremos falar um pouquinho sobre esse Sistema.

Além de questões ambientais relacionadas a economia de papel, o governo criou o SPED  para promover a  integração dos fiscos, mediante a padronização e o compartilhamento das informações contábeis e fiscais, respeitadas as restrições legais. Como isso, foi possível estabelecer uma fiscalização muito mais rígida.

Afinal, por meio dele a Receita pode racionalizar e uniformizar as obrigações acessórias para os contribuintes com o estabelecimento de transmissão única de distintas obrigações acessórias de diferentes órgãos fiscalizadores. Assim, o SPED possibilita identificar  ilícitos tributários por meio de um rápido acesso às informações, tornando  a fiscalização mais efetiva com o cruzamento de dados e auditoria eletrônica.

Podemos concluir então que o principal papel do SPED na fiscalização das empresas é o fortalecimento do controle e da fiscalização por meio de intercâmbio de informações entre as administrações tributárias. O resultado disso, é um maior combate à sonegação e consequentemente a redução do “Custo Brasil”.

E a sua empresa? Como ela está lidando com o SPED? Seu  contador consegue baixar todas as NFes, NFSes e CTes? Se você está enfrentando problemas com toda essa mudança exigida pelo governo, entre em contato com a 4True. Somos especialistas quando o assunto é Compliance Tributário.

Fonte de informações para este artigo: http://sped.rfb.gov.br

Quais os objetivos de um planejamento tributário?

Por | Compliance, Consultoria, Gestão Tributária | No Comments

Muito mais do que impedir que erros relacionados a questões tributárias passem despercebidos, um planejamento tributário bem elaborado tem como foco principal garantir que sua empresa possa não só ficar em conformidade com a legislação, mas também economizar e lucrar mais.  Confira 3 objetivos chaves de um planejamento tributário!

1 – Evitar  pagamentos desnecessários

Alguns tributos podem ser cobrados mesmo não sendo obrigatórios perante a lei. Com um planejamento tributário você pode descobrir se está acontecendo algum pagamento desnecessário.

2 – Reduzir os valores de recolhimento

Um bom planejamento tributário irá oferecer as melhores escolhas para reduzir valores de recolhimento, que pode acontecer com a mudança da base ou a redução de uma alíquota.

3 – Retardar uma obrigação tributária

Você sabia que ainda é  possível trabalhar com a possibilidade de retardar a obrigação por meio de um planejamento tributário? Isso mesmo, assim pode-se preservar o caixa da sua empresa evitando que o pagamento seja feito para o governo mesmo antes da transação comercial ser recebida.

Quais as principais vantagens e desvantagens do Lucro Presumido e do Lucro Real?

Por | Consultoria, Gestão Tributária | No Comments

Está na dúvida sobre qual regime adotar? Lucro Real ou Lucro Presumido? Bem, os dois apresentam vantagens e desvantagens. Neste artigo, vamos apresentar de forma simples e clara os melhores pontos de cada regime tributário. Afinal, não se engane. Após atingir o teto do Simples Nacional nem sempre o Lucro Presumido é o melhor caminho. O Lucro Real, apesar de sua complexidade maior, pode acabar compensando e ser a escolha que irá favorecer mais a economia tributária da sua empresa.

A grande vantagem do Lucro Real é que o  IRPJ e CSLL são calculados com base no resultado real de uma empresa, isso diminui distorções. É possível ainda compensar  prejuízos realizados em apurações futuras de lucro na base de cálculo, porque existem duas formas de  apuração, a trimestral e a anual por estimativa, nesta escolha é possível contribuir para o caixa da empresa.

Lembrando que nesse regime, as alíquotas de IRPJ e CSLL são as mesmas do Lucro Presumido, 15% e 9%, respectivamente. O que muda de forma significativa é a apuração do PIS e da COFINS.

O regime de PIS e COFINS para ser não cumulativo, tem a alíquota de 9,25%  (superior a do Lucro Presumido). No entanto,  a empresa poderá descontar créditos obtidos com a aquisição de insumos, na depreciação dos ativos, no consumo de energia elétrica e outros. Além disso, embora tenha uma alíquota maior o método de cálculo é diferente e pode favorecer algumas empresas com baixa margem de lucro.

Já o Lucro Presumido, tem um  tratamento  mais simples do que se trabalhar no Lucro Real e apresenta uma grande vantagem tributária caso o lucro da sua empresa seja maior que a presunção. As obrigações também são menos complexas e como já mencionamos neste artigo as alíquotas de PIS e COFINS são menores do que no Lucro Real.

Destacamos que para escolher o melhor regime tributário o recomendado é que seja feito um planejamento com profissionais capacitados para te orientar sobre todos os impactos relacionados a tributos e impostos.

Sua empresa opera sem identificar corretamente toda a carga tributária?

Por | Compliance, Consultoria, Gestão Tributária, Oportunidades | No Comments

Quem decide abrir uma empresa precisa estar ciente de que terá que pagar impostos. Arriscar operar sem identificar de forma correta a carga tributária pode levar sua empresa a fechar as portas. Afinal, a fiscalização está a cada dia fechando mais o cerco e gastos inesperados com multas e tributos desconhecidos diminuem a competitividade pois a empresa precisa praticar preços mais altos que o mercado exige para conseguir sobreviver.

Além da abstenção de pagamento pura e simples, que já traz muitos problemas, ainda existe o risco de sonegação fiscal que é um crime contra a ordem financeira de acordo com o artigo 1º da Lei nº 4.729, de 1965. O que pode complicar muito a situação  dos sócios da empresa. Por mais que a omissão tenha acontecido por ignorância do contribuinte, as devidas sanções serão aplicadas de acordo com a lei e com o entendimento do judiciário. Além do pagamento das quantias efetivamente devidas, também pode ser instaurado um processo criminal para que os envolvidos respondam criminalmente pela sonegação.

Dessa forma, os sócios e gestores, e qualquer pessoa que responda de forma solidária, pode ter a eventual indisponibilidade dos bens até que a situação esteja regularizada no Fisco. As multas também costumam ser bastante elevadas e podem chegar até mesmo a mais de 200% do valor original.

Depois de saber tudo isso você ainda quer operar sua empresa sem identificar corretamente toda a carga tributária? Não vale a pena correr o risco, não é mesmo?

Quais os maiores desafios da gestão tributária de uma empresa?

Por | Consultoria, Inovação | No Comments

Desde que a Constituição Federal de 1988 foi instaurada, cerca de trezentas mil leis tributárias foram editadas. Além disso, quase três milhões de atos administrativos normativos relacionados a tributos e impostos  foram editados pela Receita Federal  e Fazendas municipais e estaduais. Tudo isso faz com que um cenário cheio de desafios seja formado em relação a gestão tributária de uma empresa.

Dessa forma, a maior dificuldade encontrada quando se fala em manter o Compliance Tributário acontece porque é extremamente complicado acompanhar as publicações diárias que divulgam as mudanças das leis tributárias/fiscais. Uma pequena e simples modificação pode trazer prejuízos gigantescos para uma empresa. Os próprios contadores, muitas vezes, ficam com dúvidas sobre as variáveis na estrutura conceitual de vários tributos e por isso precisam harmonizar seu trabalho com um planejamento tributário.

Falando em planejamento tributário, este é outro desafio dentro das empresas. Grande parte o despreza e acaba tendo problemas. Um exemplo é a escolha do melhor regime tributário. Para que ele seja escolhido é preciso de uma análise cuidadosa para ver qual possibilidade mais se adequa a empresa para então optar pelo Simples Nacional,  Lucro Real ou Lucro Presumido.

Outro desafio que merece ser ressaltado é que cada estado possui uma legislação diferente. O ICMS, por exemplo, é afetado de acordo com as leis de cada unidade da Federação. Outros impostos da alçada do estado são IPVA e ITCMD.

Além disso, outro problema que dificulta a gestão tributária é a falta de um bom software  para auxiliar todo o processo. Os softwares facilitam o controle tributário ao reduzir as possibilidades de informações e cálculos errados e oferecer mais garantias de cumprimento das obrigações acessórias, inclusive do pagamento pontual dos tributos.

Vale ressaltar que ter uma gestão tributária eficiente faz com a empresa ganhe mais confiança no mercado pois a reputação fiscal é um ponto muito importante para a imagem de um negócio. Afinal,  aparecer na capa de um jornal, na imprensa ou nas redes sociais em um escândalo  fiscal pode trazer problemas com a visão dos consumidores, afetar as vendas, o posicionamento e até mesmo a sua marca como um todo. Por isso, deve-se garantir a transparência necessária na empresa e com todo o seu entorno.

Como anda a gestão do seu estoque?

Por | Consultoria, Variedades | No Comments

Os estoques são bens destinados à venda ou produção, ligados com os objetivos e atividades da empresa. Eles representam um dos ativos mais importantes do capital circulante e da posição financeira da maioria das companhias industriais e comerciais.

Por exemplo, apenas descrever de forma genérica os produtos não é suficiente para atender a legislação. Isso inclusive pode prejudicar a organização, afinal o controle do estoque deve ser feito com base no código do produto e não em sua descrição. Utilizar códigos diferentes nos documentos fiscais é outro erro bem comum quando ocorre uma falha na geração do arquivo fiscal. Vale ressaltar que para emissão da NF-e o código do produto deve ser exatamente igual ao que foi colocado no registro 0200.

A falta de detalhamento das unidades de medida também afeta muitas empresa pois é comum comprar o mesmo produto de fornecedores distintos. Neste caso, o ideal seria detalhar as unidades de medida utilizado códigos  que explicam a quantidade vinda em cada caixa de cada fornecedor.

E claro: o maior dos erros cometidos na gestão de estoque está relacionado a  omissões de entradas e saídas que acontecem quando a empresa altera seus códigos de item sem informar essas alterações nos registros 0205, pois o controle de estoque acaba considerando como novo item.

Por isso, uma administração de estoque eficiente, referente aos aspectos fiscais no controle do fluxo  de entradas e saídas de mercadorias poderá mitigar muitos riscos e multas fiscais. Quando o assunto é gestão de estoque, é comum a ocorrência de diferenças nas quantidades existentes entre o sistema de gestão (ERP) e o que consta nas prateleiras do estoque físico.   E tudo isso pode ser detectado pela fiscalização de forma eletrônica!

 

Mas então como posso evitar ter problemas com a fiscalização por causa da gestão do meu estoque?

O Fisco Estadual quando realiza o procedimento de análise de estoque das empresas, verificam: Notas fiscais não registradas/escrituradas (Livros Fiscais), notas canceladas e registradas como válidas, estoques negativo, existência de itens duplicados, dentre outras.  Todos esses problemas podem ser solucionados por meio da tecnologia.

Assim como a fiscalização é capaz de encontrar os erros de forma eletrônica, sua empresa também por meio de um sistema responsável pela auditoria de estoque. Com um bom sistema de auditoria de estoque ou uma empresa especializada que faça esse serviço de forma periódica é possível identificar todas as diferenças quantitativas existentes no estoque do seu estabelecimento, realizando uma leitura dos arquivos SPEDs (EFD ICMS/IPI) e XML´s, afim de garantir as devidas correções antes de uma diligência fiscal.

Empresas no Brasil precisam seguir mais de 3.000 normas tributárias

Por | Consultoria, Gestão Tributária, Inovação, Oportunidades | No Comments

O Instituto Brasileiro de Planejamento Tributário (IBPT) realizou um estudo “Normas editadas no Brasil: 25 anos da Constituição Federal de 1988” que constatou que o empresário brasileiro tem que seguir 3.597 normas tributárias. Esse número significa  trabalhar com as diretrizes de 30.384 artigos, 91.764 parágrafos e 293.408 incisos.

O levantamento ainda revelou que desde a promulgação da Constituição Federal foram editadas mais de 275 mil normas tributárias em todos os âmbitos governamentais. Ou seja, a cada hora útil foram editadas em média 6 normas tributárias.

Em coletiva de imprensa, o presidente executivo da IBPT João Olenike afirmou o cumprimento das determinações da nossa Constituição obriga as empresas brasileiras a destinarem, no geral, cerca de R$ 45 bilhões por ano, com equipe de funcionários, tecnologias, sistemas e equipamentos, a fim de acompanhar as modificações, evitar multas e eventuais prejuízos nos negócios.

Com todos esse números fica claro que os encargos tributários e a burocracia são fatores que dificultam a atividade do empresário brasileiro. Para tentar reduzir esses problemas, a 4True trabalha desenvolvendo soluções de compliance tributário.  Saiba mais sobre nosso serviços e não quebre mais a cabeça com questões tributárias da sua empresa.

Serviços que uma consultoria tributária pode oferecer

Por | Consultoria, Gestão Tributária | No Comments

O ponto chave da consultoria tributária é mostrar para o cliente que a legislação pode ser utilizada a favor do contribuinte. Os serviços de consultoria tributária são desenvolvidos de acordo com a necessidade da empresa e são totalmente personalizados.

Como o setor de tributos é um setor estratégico das empresas e a carga tributária tem aumentado devido à crise política e econômica que o Brasil vive, a procura por estes serviços tem aumentado. No entanto, a qualidade do serviço está intrinsecamente relacionada à obtenção de resultados satisfatórios para o cliente.

A 4True é uma empresa especializada na área que conta com uma equipe qualificada pronta para atender sua empresa. Dentro da consultoria tributária oferecemos diversos serviços. Um deles é a revisão fiscal e tributária para analisar as declarações acessórias e a confronta com a legislação tributária.

Outro serviço prestado é o parecer tributário, em que ocorre a emissão de opiniões relacionadas aos aspectos tributários dos clientes fundamentado na legislação vigente.

Além disso, quem contrata a 4True conta com todo o planejamento tributário para a empresa, pois verificamos o melhor regime tributário para o cliente apontando os cenários e evidenciando a economia tributária em cada um deles.

5 vantagens de investir em consultoria tributária

Por | Consultoria, Gestão Tributária | No Comments

O mercado está cada vez mais competitivo e por isso é importante que sua empresa otimize suas operações e ao mesmo tempo reduza custos.

O papel da consultoria tributária é auxiliar nesse processo. Ela tem como objetivo assegurar a responsabilidade fiscal das empresas perante o Município, Estado e União. O foco é elaborar alternativas tecnicamente viáveis e comprometidas com a legislação, com o propósito de evitar desembolsos indevidos ou multas decorrentes do não cumprimento das obrigações tributárias.

Por isso, elaboramos uma lista de 5 motivos para sua empresa investir em consultoria tributária:

1. Diminuição do impacto tributário nos negócios, aumentando a competitividade da empresa e permitindo um desafogo no caixa do negócio;

2. Auxílio em um melhor planejamento prévio, o pilar de sustentação que viabiliza a rentabilidade e a sobrevivência da empresa;

3. Auxiliar a ingressar societariamente em uma empresa ou até mesmo na compra de uma;

4. Possibilita a redução de custos (identificação de maneiras legais de descontos e facilidades com impostos);

5. Auxílio nas prevenções e no gerenciamento de crises financeiras.

Sua empresa ainda não investe em consultoria tributária?

Por | Consultoria, Gestão Tributária | No Comments

A maioria dos empresários vive quebrando a cabeça quando o assunto é tributo. Convenhamos que o tema realmente não é fácil e as leis brasileiras também são bastantes complexas.

Apesar do problema, muitos ainda resistem a investir nesse tipo de serviço com medo que ele possa aumentar os gastos da empresa, já que as cargas tributárias são bastante altas no Brasil.

O que diversos empresários ainda não sabem é que investir em uma consultoria da área reduz os riscos de autuação fiscal ou de pagamento indevido de impostos, duas situações que podem provocar perdas financeiras desnecessárias para a empresa.

Esse investimento ainda evita erros e omissões, com base nas determinações da legislação.

Converse com a equipe 4True e descubra as soluções que temos para sua empresa!